Retalhos
Naiara Lira

A parte da metade do pedaço do fragmento não deixa de ser retalho...

Porque eu sou retalho de mim mesma, sendo, por tanto, a metade genética de quem me criou. 

Cada expressão é pedaço alterado de mim... 

Minhas histórias são roucas, 

mas a vontade transcende o temor e da boca saem distintas borboletas.. 

histórias, minhas histórias... ditas em saudade, em desejo, em novembro, em Brasília... 

minhas memórias. 

Não de mim como um todo, 

porque não posso ser inteira se todos os dias me doo 

e de alguém recebo um pedaço. 

Cada vez que me olho no espelho, 

vejo uma junção de partes: 

olhos da mãe, sorriso do pai, nariz da tia, os pés da avó. 

Quem pode se julgar dono de si quando de si não se sabe íntegro? 

Meu próprio coração já se fez mosaico de cores. 

Da matéria prima, original forma infantil, pouco resta: 

Sou formada da costura dos retalhos dos parceiros que tive. 

Por isso, metade de mim é palavra, metade de mim é paixão, 

metade de mim é saudade e, de tantas metades, a todas chamo canção.

 

 

 

Copyright © 2013 Naiara Lira   |  Por Tályta Almeida

  • Wix Facebook page
  • SoundCloud App Icon
  • YouTube Classic

Webmaster Login