Gaia
Naiara Lira

No silêncio da noite dá pra ouvir o grito sofrido da terra
Que chove baixinho um orvalho de acidez,
Na escuridão profunda dá pra ver a mata triste
Que aos trancos resiste à nossa maldade.

Desmatamento e esgoto lá no rio,
Energia que inunda cidades,
O petróleo do copo sempre acaba num aterro.
A queimada varre toda a vida da floresta,
No solo reside a monocultura

Animais de todo tipo, plantas de toda espécie,
Preparam a vingança que não tarda e que o santo livro fala:
O dia em que Gaia cansada deixará a maternidade
fantasiada de má e em fim será  nossa drasta.

Vem de cima, vem de baixo,
Vem no vento, vem na água,
Não tem abrigo pra castigo de mãe.

Letra e Música: Naiara Lira

Arranjo: Cairo Vitor

    Naiara Lira: Voz

   Westony Rodrigues: Trompete

Márcio Bezerra: Sax

Adil Silva: Trombone

MarianaSardinha: Cavaco

    Cairo Vitor: Violão 6 cordas

Lucas Campos: Violão 7 cordas

Thiago Viegas: Percussão

 

Minha primogênita. Sem mais...

 

 

 

Para ouvir, clique aqui

Melodia cifrada em PDF, clique aqui

 

 

Copyright © 2013 Naiara Lira   |  Por Tályta Almeida

  • Wix Facebook page
  • SoundCloud App Icon
  • YouTube Classic

Webmaster Login